31/05/2011

Trilha Seringal, Rio Uberabinha e Borba

É sempre uma alegria encontrar amigos para pedalar nas manhãs de domingo. Desta vez os ciclistas agruparam-se no Posto Ecológico, na Avenida João Naves de Ávila, partindo em direção à região rural da Cruz Branca, que tradicionalmente proporciona boas pedaladas com perfil topográfico ameno e algumas surpresas agradáveis.
O grupo seguiu à Estação de Tratamento de Água Renato de Freitas – Unidade Sucupira, para depois passar pelo seringal da Cruz Branca, cruzar o Rio Uberabinha transportando as bicicletas, chegar à Mercearia e Lanchonete Borba para se reabastecer com o conhecido e delicioso pão de queijo que é produzido lá mesmo e, finalmente, voltar pedalando pela BR-452 até o ponto de partida. Este trajeto circular totaliza 53 km com ganho de elevação de apenas 342m, embora alguns ciclistas pedalem trechos adicionais até as suas casas.
O primeiro destaque da pedalada é o trajeto através do seringal da Cruz Branca que é curto, mas agradável e marcante pela beleza das passagens cobertas pelas copas das seringueiras, de onde se extrai o látex para a fabricação de borracha natural. Quem não conhecia aquele trecho ficou maravilhado com a beleza da cultura de seringueiras e principalmente pelo sombreamento que proporcionam ao caminho.
Deixando o seringal na direção sudeste os ciclistas logo chegaram ao segundo destaque da pedalada. Entrando pelo curral de uma propriedade à beira do Rio Uberabinha chegam à sua margem esquerda com a visão de uma pequena queda de água. Embora o volume de água seja expressivo há um caminho por onde o rio se alarga e apresenta pouca profundidade, permitindo aos ciclistas atravessarem a seu curso transportando as bicicletas para não se molharem. A transposição de uma margem à outra exige cautela, força e equilíbrio, mas deixa uma saudável sensação de vencer mais um desafio no passeio. No entanto há outro desafio durante os próximos 2km na pedalada de acesso à BR-452, por trilhas cobertas pelo mato numa colina que acumula mais de 60m de elevação.
Cruzando a rodovia chega-se à Mercearia e Lanchonete Borba onde os ciclistas sempre fazem uma parada para descanso, reidratação, e saborear o pão de queijo.
Este passeio é concluído depois da pedalada pelo último trecho, às margens da rodovia BR-452, de volta à cidade.
O percurso total não exige muita técnica dos ciclistas, apenas o condicionamento físico para a pedalada por mais de 50 km considerando ainda seu final por um trecho em asfalto. O trajeto, em grande parte, é através de estradas vicinais de boa qualidade que em alguns pontos apresentam curtos trechos com camadas de areia dificultando a pedalada.
Post Escrito pelo companheiro de pedal, Sírio Henrique de Carvalho Rossi.